Um Novo Ano: a chegada da Primavera

Um pouco por todo o mundo, as pessoas aproveitam esta altura do ano para fazerem resoluções de ano novo, propor objectivos que deem novo significado às suas vidas.  É muito natural nesta altura do ano, visto que estamos a sair do inverno e a entrar na  primavera. É como se, no subconsciente, soubéssemos que estamos a ir de uma fase yin de inverno, de introspeção, descanso e recuperação, espelhando o ciclo da natureza, para uma fase seguinte mais yang, activa e criativa. Nas cinco transformações, esta fase corresponde à passagem do elemento água para o elemento árvore e representa uma nova energia ascendente.  O trigrama associado é representado pela montanha e simboliza estar no topo da montanha a olhar para o horizonte longínquo com todas as opções apresentadas à sua frente. 
No Feng Shui, a altura em que o elemento água se transforma em árvore fica a meio caminho entre o solstício de inverno e o equinócio da primavera.  Este ano é a 4 de Fevereiro. (Não confundir com o Ano Novo Chinês, que é na segunda lua nova após o solstício de inverno, a 5 de Fevereiro.)
Neste artigo, vamos explorar formas de criar novos caminhos que sejam realmente inspiradores, e como podemos aplicá-los às nossas vidas.
Criar resoluções de Ano Novo
O fundador da Macrobiótica, George Ohsawa, baseou a sua filosofia no princípio “non credo”, pensarmos por nós próprios e questionarmo-nos com frequência.  Estas práticas tornam-se incrivelmente úteis quando procuramos fazer mudanças nas nossas vidas. Devemos deixar para trás as crenças, pressupostos e juízos existentes que impedem a mudança para imaginarmos novas possibilidades.
Uma das práticas que gosto de usar é a meditação. Começo por fazer uma simples meditação respiratória e depois imagino que a minha vida está a chegar ao fim, ainda assim sinto-me contente, satisfeito, completo e preparado para seguir a viagem.  Uma vez capturada esta sensação, pergunto-me o que tenho que fazer, ou o que tenho que aperfeiçoar na minha vida, para me sentir assim no seu final. 
Outras práticas poderão ser: olhar para as estrelas numa noite de céu limpo, subir a uma montanha, rodear-me de árvores, sentar-me numa pedra junto a um rio ou fazer jejum. Todas estas práticas têm vindo a ser usadas ao longo dos tempos e estão relacionadas com os elementos metal, água e árvore no modelo das cinco transformações. 
À medida que largamos os pensamentos limitativos, a nossa mente abre-se para abraçar todos os tipos de possibilidades fantásticas.  Tente relaxar e deixe o fluxo das suas ideias levá-lo onde quiser.  Nesta fase, as ideias não precisam de ser práticas e não há qualquer obrigação de as seguir.  Sempre que sentir uma energia por detrás de uma ideia, ou tenha uma resposta emocional positiva, tome notas para descrever a ideia. 
Deixe o processo seguir o seu curso natural e, com sorte, terá várias ideias criativas para pôr em prática.  Na teoria, esta energia está mais activa na fase de mudança do elemento água para o elemento árvore, assim, escolhemos o final de Janeiro e o princípio de Fevereiro, entre a lua nova e o quarto crescente, aproveitando a madrugada, entre as 4h e as 5h da manhã, para meditar sobre novos caminhos e possibilidades.

 

Desenvolver uma resolução que seja prática, realista e sustentável
No modelo das cinco transformações, esta é a fase do solo e do metal.  Anote os potenciais novos caminhos e resoluções e comece a escolher aqueles que pode, efectivamente, concretizar. Concentre-se naqueles que são exequíveis e realistas e mantenha os projectos grandiosos como intenções a longo prazo.  Comece a escrever como poderia pôr em prática cada resolução, o que precisaria, quem envolveria e quanto tempo precisa.  Após ter definido os detalhes, comprometa-se com uma data para iniciar e terminar.        
Se tem um padrão em que lhe é difícil realizar os seus sonhos, use esta informação para manter as suas resoluções simples e fáceis de pôr em prática. Comece com um projecto pequeno, os resultados irão transformar-se em algo significativo, e será mais fácil dar pequenos passos, do que lançar-se para um projecto demasiado ambicioso.

 

A Macrobiótica, ou no Feng Shui, na meditação, no Shiatsu, no Chi Kung e o pensamento positivo como agentes de mudança.
Estas disciplinas ajudam a criar mudanças significativas nas nossas vidas, atingimos mais, com menos esforço.  A natureza é generosa, oferece tudo o que precisamos. O  alimento, o meio ambiente e as estações do ano, entre outros factores, influenciam  e podem fortalecer o nosso  chi (ki, prana, energia vital).  É como velejar com o vento a favor, ou nadar a favor da maré.  Se tivermos a sensibilidade de, através da meditação, do Chi kung, do Shiatsu e de práticas que trazem um maior discernimento e consciencialização, começamos a captar as correntes subtis à nossa volta e podemos usá-las para nos ajudar a avançar. 
Este é o momento ideal para criar uma intenção clara para tornar 2019 um ano memorável. Tomar decisões conscientes que potenciem o nosso crescimento e aptidões para sermos bem sucedidos nas áreas da vida que nos apaixonam e nos fazem vibrar.  Sei que quando invisto em mim , a nível profissional, de desenvolvimento pessoal e/ou espiritual,  sei que tenho mais para oferecer.
Desejos de um ano verdadeiramente feliz, cheio de sucessos, muito amor, risos e sorrisos, alegria e propósito.
Simon Brown, 2019

Saiba mais sobre o autor: Bio Simon Brown