Intestinos

Recentemente, escrevi sobre a respiração e os pulmões; hoje, abordo aquele que em medicina oriental é considerado o órgão par: o Intestino Grosso.
Duma forma análoga aos pulmões, que retiram o dióxido carbono e fornecem oxigénio, os intestinos também retêm o que é necessário e eliminam o desperdício. Especificamente, o intestino grosso absorve água e elimina os excessos sólidos.
Na teoria oriental das 5 transformações, os intestinos estão também relacionados com a capacidade de, emocionalmente, eliminar o que é antigo nas nossas vidas e poder receber o que é novo e fresco. Considera-se que um bom funcionamento intestinal nos dá a capacidade de distinguir o que é importante do que é desnecessário, assim como de verbalizar de uma forma clara os nossos pensamentos e emoções. Para os orientais, assim como para algumas teorias de psicoterapia, existe uma relação directa entre este órgão digestivo e a capacidade de sermos mais ou menos flexíveis em termos psicológicos e emocionais.
A vida moderna, com um crescente sedentarismo e uma alimentação baseada em alimentos refinados, grandes quantidades de gordura animal e açúcar, tende a criar problemas como obstipação, diarreia, cólicas e desconforto abdominal, entre outros.
Para melhorar alguns destes problemas, tente ter actividade física regular, particularmente actividade que estimule os músculos abdominais, comece a comer cereais integrais (arroz integral é excelente para o efeito) e alimentos fermentados duma forma natural. Os bons resultados sentir-se-ão rapidamente.